Se você trocou as lâmpadas por LED e não reduziu o custo de energia, não se desespere!

Essa é uma queixa muito comum dos gestores de energia e aqui vamos explicar os principais motivos de não se obter resultados tão expressivos uma vez que você já trocou as lâmpadas por LED.

O custo de energia para as lâmpadas não é o seu problema!

Um dos pontos mais importantes quando se gerencia a energia é conseguir identificar o seu Uso e Consumo. Uma técnica que pode auxiliar nesse processo de identificação é a classificação de vetores energéticos. Basicamente, saber o Uso de energia nos permite entender qual o fim que a sua energia está sendo utilizada. Podemos exemplificar aqui uma sala de um escritório que usa energia para iluminação e refrigeração.

Posteriormente ao entendimento do uso, identificamos o consumo, que nesse caso é a quantificação do uso onde o objetivo final é saber de fato o quanto se consome. Essa informação pode ser obtida através de um monitoramento ou até mesmo com um levantamento teórico de cargas, que apesar de não considerar os perfis de consumo, permite ter uma boa ideia de qual uso possui maior representatividade de consumo.

Portanto, uma das primeiras razões pela qual você trocou as lâmpadas por LED não reduziu o custo de energia pode ser porque o seu consumo de energia para iluminação não era significativo. Para se ter uma ideia, em um ambiente industrial o consumo de energia para iluminação varia entre 0,5 e 3%.

Instalar lâmpadas LED não é a certeza de reduzir as cargas, e consequentemente o custo

Na maioria dos casos as lâmpadas leds possuem potência menor do que as lâmpadas convencionais sejam elas fluorescentes ou de vapor de sódio. Entretanto, caso a substituição das lâmpadas para led não seja realizado através de um projeto isso pode acarretar em um prejuízo técnico na quantidade de lux, fazendo com que sejam necessárias um maior número de luminárias para atingir a iluminância ideal. Consequentemente, a substituição pode acarretar em um número maior de luminárias, cada uma com potência menor mas com a resultante ainda maior de carga instalada.

O cenário ideal é que seja realizado no mínimo um diagnóstico básico para identificar quais são as maiores cargas dos processos e como é realizado o consumo de energia dentro da sua instalação. Dessa forma, é possível direcionar as ações buscando a redução de custo através da eficiência energética de maneira estratégica, garantindo que qualquer investimento que seja realizado pela organização seja rapidamente retornado, Dessa maneira, é possível trabalhar de forma sustentável, contribuindo para a competitividade do negócio!