Se você precisa entender o que são bandeiras tarifárias e como isso impacta no custo de energia, nesse post vamos contar todos os detalhes sobre esse tema!

Desde 2015 as faturas de energia ganharam um novo item que tem impactado de maneira significativa nas previsões orçamentárias dos custos de energia nas empresas. Esse item é nominado como Bandeiras Tarifárias.

Semelhantemente aos semáforos as Bandeiras Tarifárias apresentam a classificação Verde, Amarela e Vermelha e cada uma delas representam as condições de geração de energia elétrica no sistema nacional. Essas condições são exatamente o que fazem com que o custo de energia sofra variações mês a mês.

É importante entender a diferença entre as Bandeiras Tarifárias e as tarifas de energia elétrica. As tarifas, representam a maior parcela do custo de energia existente na fatura e são relativas aos custos de geração, transmissão e distribuição da energia. As Bandeiras Tarifárias, por sua vez, são relativas aos custos variáveis de geração de energia que podem ser maiores ou menores em função das condições de geração.

Quem dita a regra das Bandeiras Tarifárias é a ANEEL e os procedimentos comerciais para aplicação dessas regras foram estabelecidas através da Resolução Normativa nº 547 de 16 de Abril de 2013.

Agora, vamos entender detalhadamente o que é cada Bandeira Tarifária e qual o impacto ela traz no custo de energia?

  • Bandeira Verde – condições favoráveis para geração de energia elétrica. A tarifa não sofre nenhum acréscimo.
  • Bandeira Amarela – condições de geração de energia elétrica menos favoráveis. Nesse caso, a tarifa é acrescida de R$ 0,010 para cada kWh consumido.
  • Bandeira Vermelha (Patamar 1) – condições de geração de energia elétrica ruins. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,030 para cada kWh consumido.
  • Bandeira Vermelha (Patamar 2) – condições ainda piores para geração de energia elétrica. Acréscimo na tarifa de R$ 0,050 para cada kWh consumido.

Se considerarmos que a tarifa média de energia elétrica no brasil gira em torno de R$ 0,75/kWh, essas condições impostas pelas Bandeiras Tarifárias impactam no custo de energia que podem apresentar um acréscimo de até 7% no mês em que são acionadas. É importante ressaltar que esse impacto é ainda maior, uma vez que nessa conta ainda incide os valores de impostos.

Diante de tantos custos adicionais incidentes às faturas de energia elétrica, a melhor maneira de reduzir esses impactos financeiros nos custos de energia é realizando a Gestão de Energia dentro das organizações. Dessa maneira, é possível se obter um planejamento energético adequado, aliado a projetos que reduzirão o consumo de energia de maneira estratégica a fim de mitigar esses impactos.

De toda forma, aqui ainda vão algumas dicas para reduzir o consumo de energia.